19 de mai de 2015

Medo de Sótãos

Conto: Fabiano Vianna
Ilustração: Simon Taylor



Eu sofro de um mal: medo de sótãos. O maldito espaço desocupado em cima de casa não me deixa trabalhar. Todos conhecem a fama dos sótãos né? Habitat de vampiros, fantasmas, surfistas e outras coisas pavorosas.
Me mudei faz pouco tempo. O corretor imobiliário não me falou deste aterrorizante vazio entre as treliças quando me mostrou a casa. Porra. Há meses que não consigo trabalhar. O som do nada domina meus pensamentos.
Não existe coisa pior do que isso. Nem mesmo as músicas da Paula Fernandes.
De vez em quando ligo para o técnico da GVT e invento um problema no sinal da internet só para que ele suba e conte o que (não) viu. É um alívio quando o técnico me diz que não há nada além de pó e fios. De vez em quando uma pequenina aranha-marrom.
Mas não resolve, porque basta o técnico colocar o pé lá fora para que o incômodo volte.  O sinistro som do vazio que não me deixa pintar.
Minhas aquarelas estão ficando horríveis por causa do sótão. Centenas de papéis (caros) desperdiçados.
Terei que fazer alguma coisa urgente. Transformar o sótão numa sala, talvez. Levar um sofá para lá. Será que um cômodo vazio com um sofá torna-se uma sala? Mesmo estando perto das treliças? Ou continuará sendo um sótão? Não sei, mas será ao menos uma boa vingança. Por todas as aquarelas que ele estragou.
E depois que resolver isto, ainda terei outro desafio ainda maior a enfrentar: a sacada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário